PATRÍCULA ELEMENTAR

«A nossa pequena pátria, a nossa patrícula.» B. Vian

O que há num nome?

 

T. S. Eliot “teorizou” sobre o tema num seu famoso poema chamado The Naming of Cats, lembrando a que ponto nomear um gato pode ser um exercício de extrema complexidade, sobretudo atendendo a que os gatos são seres que requerem três nomes: um para uso diário, em casa, pela família, tal como Augusto, ou Eduardo, ou Valentim; um outro para diferenciar um gato particular de todos os outros no Mundo, entregando-lhe um nome improvavelmente replicado, como por exemplo Bombalurina, ou Munkustrap – nomes que ajudam um gato a manter a cauda perpendicular e um porte cheio de power; e finalmente um terceiro nome, vedado aos humanos, que apenas o gato conhece e jamais revelará – e basta ver o gato enfiado na sua imperscrutável meditação para perceber a que ponto esse nome misterioso e para sempre ocultado o absorve inteiramente.

Nome, o espectáculo criado pela Companhia da Chanca, aborda com criatividade a temática do nome – do nome próprio que os pais entregam aos filhos para que o levem pela vida fora. O que é um nome? O que contém um nome se for associado a alguém próximo? Quem seríamos sem um nome? Ninguém, não existiríamos se não pudéssemos ser nomeados – daí que o facto de cada vez mais sermos um número (um número de contribuinte, um número de conta bancária, um número de cliente-consumidor, um número de IP) constitua a evidente aniquilação dessa melhor forma que um nome inscreve numa memória.

Há línguas de grande precisão semântica em que não dizemos que nos chamamos mas antes que nos chamam – como por exemplo o grego moderno ou o alemão. Como te chamam?, pergunta quem quer conhecer o nosso nome. Um nome é, assim, uma parte muito importante de nós – o nós que é construído pelo que acontece no diálogo que estabelecemos com os outros que nos nomeiam. Daí que possa ser uma boa ideia dar aos filhos um nome ainda sem história, para que, justamente, eles a possam construir.

Artur Abreu de Matos tem um problema: vai ser pai e não sabe que nome entregar ao filho que vai nascer da mãe. Foi ao bruxo Bazunganga mas nem assim encontrou uma solução. Absorvido nessa sua procura, Artur dá consigo a evocar o seu avô Lisandro – ou Lizandro, como o rio, mas também como a pessoa do avô e a sua vida, indissociáveis do nome e compondo uma história que talvez seja demasiado grande para entregar a alguém tão novo e inaugural como um bebé. O mais avisado, digo eu, será pensar muito bem antes de homenagear os avós ou fazer dos filhos, através do nome, uma extensão dos pais antes mesmo de se tornarem gente.

Sediada em Chanca, concelho de Penela, a Companhia da Chanca realiza com Nome a sua segunda produção própria. Com texto de Pedro Branco, o espectáculo (criado a convite do Teatro Extremo, em Almada, tendo estreado há apenas uma semana) tem encenação de Catarina Santana e interpretação de André Louro. Pode ser visto nas escolas do ensino básico do Concelho de Almada até ao próximo dia 15 de Dezembro.

Na imagem: André Louro e um público de crianças divertidas durante o espectáculo Nome numa escola em Almada

 

 

About Sarah Adamopoulos

Antiga jornalista profissional, tem-se dedicado à edição de livros - criação e produção editorial. Anda pelos blogues desde 2003, lugares de eleição para a escrita rápida e para o debate de sociedade. Autora de vários livros, entre os quais "Fado menor" (literatura, 2005) e "Voltar – memória do colonialismo e da descolonização" (investigação historiográfica, 2012). Traduziu, entre outros, por sua iniciativa editorial, o primeiro grande estudo económico sobre a desigualdade no Mundo publicado no século XXI ("O capital no século XXI", de Thomas Piketty). Escritora e dramaturgista, tem sempre espectáculos de teatro e poemas na cabeça.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Informação

This entry was posted on 21 de Novembro de 2017 by in Almada, Sociedade, teatro and tagged , , , , , .

Navegação

%d bloggers gostam disto: