PATRÍCULA ELEMENTAR

«A nossa pequena pátria, a nossa patrícula.» B. Vian

Kate Tempest

Kate Tempest, solta rimas por cima de um hip-hop negro e industrial, propondo um olhar duríssimo sobre a sua geração, sem concessões e tibiezas…

8 de Março de 2017 · Deixe um comentário

Eu, refugiada

Max Ernst, Les apatrides (1940) « (…) Como ser uma refugiada me parecesse um estatuto demasiado agreste para uma jovem rapariga (que ainda por cima não tinha fugido de lado … Continuar a ler

8 de Março de 2017 · Deixe um comentário

Spyros

O “meu marido” era o magnata de uma aldeia em Creta. O restaurante onde eu comia todos os dias era dele, e também a agência de viagens, e o hotel, … Continuar a ler

28 de Fevereiro de 2017 · Deixe um comentário

“Acabar em beleza”: o teatro-vérité de Mohamed El Khatib

© Victor Pascal A própria vida dos artistas constitui, como a História da arte comprova, o material por excelência sobre o qual trabalhar, a melhor matéria para esculpir os objectos … Continuar a ler

23 de Fevereiro de 2017 · Deixe um comentário

Da Família

Prossigo as minhas leituras dos livros de Valério Romão. Depois de Autismo, li O da Joana (… sendo mulher, e também mãe, há ali um problema irresolúvel), e depois desse, … Continuar a ler

16 de Fevereiro de 2017 · Deixe um comentário

O teatro de arte de Miguel Moreira

(c) Filipe Ferreira O texto de O Duelo, de Bernardo Santareno – pseudónimo literário do médico António Martinho do Rosário – foi o pretexto para levar Miguel Moreira ao Teatro … Continuar a ler

3 de Fevereiro de 2017 · Deixe um comentário

Poema à boleia dos mortos

(c) Beatriz Bagulho   Como assim O Livro Português dos Mortos? Há lá dentro, ou por ali perto a rondar, mortos portugueses antigos? Fez o poeta um mapeamento das suas … Continuar a ler

22 de Janeiro de 2017 · 1 Comentário