PATRÍCULA ELEMENTAR

«A nossa pequena pátria, a nossa patrícula.» B. Vian

QUATOR EADEM NOCTE

– Com que então quatro pecados mortais?

– E uma nega.

– Pois quatro na mesma noite é o limite que os teólogos põem aos exageros da carne.

3 de Fevereiro de 2019 · Deixe um comentário

Florinhas de Luísa Costa Gomes

Luísa Costa Gomes desencantou pormenores grandemente desconhecidos das vidas de santos, muitos conhecidos, do grande firmamento venerabundo.

2 de Janeiro de 2019 · Deixe um comentário

Não há amor como os primeiros

“Em 1875, o meu bisavô arrematou o pénis do Capitão Nicholls, que morrera na prisão de Horsemonger, em 1873. O membro foi guardado num frasco de vidro de 30 cm de altura e encontrava-se num perfeito estado de conservação.”

7 de Outubro de 2018 · Deixe um comentário

Pescarias em Portugal: um retrato social, económico e político

Construído em cinco partes, este texto denso, parecendo um dóri aqui chegado carregado com mais bacalhau do que a sua pequena capacidade deveria comportar – percorre os grandes eixos desta história.

22 de Setembro de 2018 · Deixe um comentário

Álcool, gajas & música clássica

‘As mulheres foram feitas para sofrer. Não admira que passem o tempo a pedir declarações de amor.’ Henry Chinaski, “Post Office”, 1971

17 de Agosto de 2018 · Deixe um comentário

revista manifesto (parte 1)

Muito estranhamente (para o meu entendimento do que é uma publicação que se auto-representa como um produto jornalístico), a revista é dirigida por um dos actuais adjuntos do Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares.

16 de Junho de 2018 · 1 Comentário

No desaparecimento de Philip Roth

O que Roth escreveu em “O Animal Moribundo” sobre a dimensão destrutiva do desejo amoroso e dos laços afectivos familiares (sem esquecer a conjugalidade, onde a destruição é quase sempre fatal) é o retrato chapado da nossa pequenez ridícula.

23 de Maio de 2018 · Deixe um comentário