PATRÍCULA ELEMENTAR

«A nossa pequena pátria, a nossa patrícula.» B. Vian

O Congresso do PS de esquerda

Congresso do PS, Batalha, Maio de 2018. Umas breves notas.

  1. O discurso de Pedro Nuno Santos (n. 1977), actual Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares (com inerente fundamental papel na coordenação do trabalho do PS junto dos partidos que constituem a chamada geringonça) foi sem dúvida um momento alto. Nesse discurso vejo o PS de esquerda que sempre soube que existia mas ao qual faltava gente mais nova, não proveniente das elites da capital, com preparação para fazer com firmeza (e necessariamente sem alianças à direita) a defesa dos mais fracos e oprimidos. Grande discurso, de afirmação do posicionamento do PS à esquerda, no País e na Europa, malgrado o quadro económico global, as bolhas que ainda aí vêm e as enormes dificuldades do Governo em honrar a expectativas de tantos.

  2. As anotações musicais que vi no XXII Congresso do PS, no contexto da homenagem que os congressistas prestam ao militante n.º 1, Mário Soares (naquele que é o primeiro congresso dos socialistas depois do desaparecimento de Soares), actuações, tanto quanto pude apurar, da lavra de Filipe La Féria, são uma curiosa apropriação pelo PS dos cantares, usos e costumes do PCP.  Falta-lhes porém a gravitas de uma mais longa e mais sofrida resistência ao fascismo português do século XX. E, sobretudo, os artistas certos para evocar essas lutas e dores. A Grândola sem um coro de homens maduros será sempre algo esquisito.

  3. Prossegue a impugnação mediática da SIC Notícias e do Expresso ao Governo e ao PS de António Costa. Jornalismo miserável, que enforma o que se chama propaganda ou até mesmo activismo – activismo de um PSD neoliberalíssimo, que de modo algum se revê nalgumas posições de Rui Rio – de que é exemplo a questão da eutanásia,  que estará em cima da mesa parlamentar para a semana. Jornalismo é outra coisa.

  4. Há um país que sofre, cheio de problemas estruturais, muitos vindos do passado distante, outros criados mais recentemente por sucessivos governos de alternância PS/PSD, que contrasta fortemente com os discursos celebratórios do actual PS.

About Sarah Adamopoulos

Antiga jornalista profissional, tem-se dedicado à edição de livros - criação e produção editorial. Anda pelos blogues desde 2003, lugares de eleição para a escrita rápida e para o debate de sociedade. Autora de vários livros, entre os quais "Fado menor" (literatura, 2005) e "Voltar – memória do colonialismo e da descolonização" (investigação historiográfica, 2012). Traduziu, entre outros, por sua iniciativa editorial, o primeiro grande estudo económico sobre a desigualdade no Mundo publicado no século XXI ("O capital no século XXI", de Thomas Piketty). Escritora e dramaturgista, tem sempre espectáculos de teatro, documentários cinematográficos e poemas na cabeça. Às vezes consegue concretizá-los.

One comment on “O Congresso do PS de esquerda

  1. Duilio
    28 de Maio de 2018

    Republicou isto em Primeiro Ciclo.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: