PATRÍCULA ELEMENTAR

«A nossa pequena pátria, a nossa patrícula.» B. Vian

Nicolas Maduro, o pioneiro

 

gartman-venezuelan-president-nicols-maduro-is-simply-an-idiot.jpg

 

Adiar a morte do querido líder para melhor organizar a sucessão, aprendeu-o o roliço bolivariano com o grande líder José Estaline.

Porém, ao contrário do bigodes original, o jovem Maduro adiou demasiado a morte oficial do querido líder Hugo Chavez. Quando chamou os embalsamadores russos (os mesmo que tomam conta da múmia de Lenine) já era tarde demais.

A partir deste falhanço na arte da liturgia revolucionária, tinha tudo para correr mal. E correu. Pelo pior. Para 2016 o FMI prevê uma inflação de 720%. Mesmo admitindo que o FMI é uma instituição dominada pelos yankees (e que tenha inflacionado mesmo a própria inflação) ela será, pelo menos, de 500%. Havendo que escolher entre a alimentação e a higiene, o venezuelano médio deixou de se lavar, o que criou uma praga de sarna. A falta de água é culpa do El Niño. As pessoas armazenam-na em baldes de plástico, local adequado à proliferação dos mosquitos que transmitem o Zyca. Se alguém for apanhado a fazer fila à porta das lojas e propagar a ideia que há escassez de alimentos à venda, é preso pela Guarda Nacional. Não havendo capacidade no serviço nacional de saúde para fornecer pílulas, dispararam os nascimentos. Que acabam a morrer como tordos nos hospitais sem medicamentos. Embora seja um grande produtor de petróleo, a Venezuela importa combustíveis refinados ao arqui-vilão — os EUA.

Como a energia é a mãe de todos os problemas, Nicolas Maduro teve, finalmente, uma ideia pioneira. Até meados do século XX, os trabalhadores folgavam apenas ao domingo. Depois surgiu a semana inglesa, onde folgavam também ao sábado à tarde. Finalmente implantou-se a semana americana, onde o trabalhador, excepto na hotelaria, na restauração e na construção de estádios de futebol no Qatar, passou a folgar dois dias por semana.

Pois, não tanto para poupar a classe operária, mas apenas para poupar energia, Nicolas Maduro inventou a semana venezuelana — três dia de folga.

A História absolvê-lo-á, como sempre. Já os venezuelanos, coitados, duvido seriamente.

Anúncios

One comment on “Nicolas Maduro, o pioneiro

  1. llopes49
    8 de Abril de 2016

    No ano de 2016 ainda há cromos assim. Que pena estarem vivos.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 8 de Abril de 2016 by in Patrícula elementar, Política internacional, teatro and tagged , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: