PATRÍCULA ELEMENTAR

«A nossa pequena pátria, a nossa patrícula.» B. Vian

Dramolete presidencial

on-sort-tous-son-masque-de-mickey-et-on-regarde-la-camera-pour-faire-bien-flipper-a-vous-de-decouvrir-lesquels-ne-jouent-pas-le-jeu_160714_wide

Num estúdio de tevê, um pivot silenciado por um painel populoso e palavroso de convidados. Dez candidatos esgrimem, atropelando-se, argumentos em favor da sua diferenciação relativamente aos demais ali presentes.

Candidato 1   Aprender, aprender sempre. Mas com independência.

Candidata 2   Não digo que não, mas eu é que sou a Presidente da Junta. Senão vejamos: tenho várias dezenas de anos de vida pública, fui dirigente da administração pública, governante, alta comissária para os pobres coitados que não têm onde cair mortos, consultora disto e daquilo, vice-provedora, administradora-delegada, etc, etc. Need I say more? (tirando da mala uma pastinha, que estende dirigindo-se ao pivot) Trouxe aliás o meu CV, que tenho muito gosto em oferecer-lhe.

Candidato 3   Isso é tudo muito bonito mas o mais importante é a experiência de vida. Nisso, acho que ninguém me bate. Da vida percebo eu mais a dormir que vocês todos acordados.

Candidato 4   Presunção e água benta, é à vontade do freguês. Mas o mais importante é a generosidade. Não costumo gabar-me, mas sou uma pessoa extremamente generosa. E quem diz generosa, diz combativa. E combatente, também. Try me.

Candidato 5   Ainda me hão-de explicar o que tem tudo isso a ver com a Constituição da República! É que é preciso e é urgente não apenas uma política diferente mas também defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição. É que não basta conhecê-la, não, é preciso cumpri-la, dammit!

Candidato 6   A Constituição pode ser muito importante, e seguramente é-o, mas não muda um milímetro à constante da vida que é a incerteza. Se vocês conhecessem, como eu, mais de cem países, saberiam isso. Por isso, não tenho dúvidas de que sou o homem certo para o lugar incerto. Para além de ser também comentador, o que faz de mim um forte candidato, c’mon.

Candidato 7    Eu não precisei nem de viajar pelo Mundo nem de ser comentador para ser o candidato que melhor conhece o povo. E também não precisei de andar a queimar as pestanas, porque frequentei a melhor escola de todas: a escola da vida! De qualquer modo, já decidi: entre emigrar para a Europa ou para Belém, eu prefiro emigrar para Belém.

Candidato 8    Eu amo todos vocês. Mas até isso desdramatizo.

Candidato 9    Eu comprometo-me a limpar a sociedade de toda a ignomínia, de toda a corrupção, dos privilégios ilegítimos, da incompetência e do desperdício. Comigo, será uma limpeza, believe it or not!

Candidata 10  Eu, em consciência, tenho alguma dificuldade em perceber como poderia um Presidente da República levar a cabo tamanha limpeza. Mas uma coisa sei: nunca aceitaria a acumulação de funções que por exemplo a Candidata 2 já teve. Cargos apresentando conflito de interesses, ainda por cima.

Candidata 2   Ora, ora, a menina devia saber que as mulheres são naturalmente multifunções. Toda a gente sabe disso. Seja como for, eu cumpro a lei, e é só isso que interessa para o caso.

Candidata 10  Lei e ética não são a mesma coisa, minha senhora.

Candidata 2    Durmo sem problemas. Quer melhor prova?

Candidato 3   Aposto que toma soníferos.

Candidata 2   Engana-se. Durmo porque não tenho telhados de vidro. Já o senhor…

Candidato 3   Eu não devo nada a ninguém.

Candidata 2   Porque entretanto pagou!

Intervem o pivot para pôr ordem no debate.

Pivot                Candidato 3, Doutora Candidata 2… Candidata 10… temos de terminar. O tempo esgotou-se…!

Candidato 4  É sempre a mesma cantiga: e eu, falo quando?

Candidata 2  Eu também queria dizer mais uma…

Candidato 4 (interrompendo) Vim aqui para debater, e afinal já me mandam embora. Assim não brinco, ó caraças!

Candidata 10 Em consciência, julgo que terá sido prejudicado.

Candidata 2  Não foi o único… realmente… assim… Eu nem sequer tive tempo para dizer que fui eu quem introduziu o pensamento estratégico em Portugal… | Fim

Inspirado neste debate e noutros a que tenho assistido.

Anúncios

About Sarah Adamopoulos

Antiga jornalista profissional, dedica-se à edição de livros - criação e produção editorial - desde 2008. Anda pelos blogues desde 2003, lugares de eleição para a escrita rápida e para o debate de sociedade. Autora de vários livros, entre os quais "Fado menor" (literatura, 2005) e "Voltar – memória do colonialismo e da descolonização" (investigação historiográfica, 2012). Traduziu, entre outros, o primeiro grande estudo económico sobre a desigualdade no Mundo publicado no século XXI ("O capital no século XXI", de Thomas Piketty). Tem sempre peças de teatro e poemas na cabeça.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 5 de Janeiro de 2016 by in Política nacional and tagged , .

Navegação

%d bloggers like this: